:: 06.05.04 ::

Ceará potencial eólico

O Ceará possui três centrais eólicas em funcionamento na Capital e Região Metropolitana, produzindo 17,4 Megawatts (MW). Em todo o País, a energia fornecida através dos ventos gera 22 Megawatts.

Rita Célia Faheina da Redação

A primeira usina eólio-elétrica do mundo construída sobre dunas de areia e a maior usina do gênero da América Latina. As duas estão no Ceará. A primeira instalada na Praia da Taíba, no município de São Gonçalo do Amarante, a 55 quilômetros de Fortaleza, e a segunda na Prainha, em Aquiraz, a 30 quilômetros da Capital. Além delas, está em pleno funcionamento o Parque Eólico do Mucuripe com os aerogeradores instalados na Praia Mansa, zona leste da Capital. Juntos, parque e usinas eólio-elétricas do Estado produzem atualmente 17,4 Megawatts (no Brasil são 22,6 MW), sendo 2,4 Megawatts na Praia Mansa, 5 MW na central da Taíba e 10 MW na usina da Prainha.


Parque Eólico na Prainha, em Aquiraz, é a maior usina do gênero da América Latina e produz 10 Megawatts
(Foto: Fco. Fontenele)

O potencial de energia eólica do Ceará é um dos maiores do Brasil em virtude do grande favorecimento dos ventos. O Governo do Estado estima que em toda a extensão do litoral, essa potência chegue a 6 mil MW e, juntando-se ao litoral do Rio Grande do Norte, o potencial eólio-elétrico dessa área equivaleria à hidrelétrica de Itaipu, ou seja de 12 mil MW, o que corresponde a 25% da oferta de energia para todo o Brasil. O Ceará e o Rio Grande do Norte são líderes no País em potencial eólico.

Segundo Adão Muniz, coordenador de energia e comunicação da Secretaria de Infra-Estrutura (Seinfra), de todos os projetos de energia eólica do País, apresentados à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), 70% estão no Nordeste e a maioria é do Ceará. De acordo com previsão da Seinfra, o Estado deve conseguir chegar à produção de 220 MW de energia eólica (estipulada como limite pelo programa federal para o Estado) em dois anos.

Além das três centrais eólicas, Adão prevê que até o fim de 2006, já comecem a funcionar duas novas usinas, uma em Paracuru e outra em Camocim, no litoral oeste do Estado. Até o fim deste ano, est á previsto o início das obras. Cada uma terá a capacidade de produzir 30 Megawatts de energia. O projeto dessas duas usinas começou em maio de 1993 quando o Governo do Estado lançou, através da Coelce, o primeiro estudo de viabilidade para a construção das duas centrais.

Para o financiamento do projeto, em agosto de 1997, foi assinado um contrato de empréstimo entre o Governo do Estado e o The Overseas Economic Cooperation Fund - OECF, atualmente Japan Bank For International Cooperation (JBIC), no valor máximo de seis bilhões e vinte milhões de ienes japoneses. O Governo do Ceará como proprietário das usinas, ficou responsável pela complementação do investimento, com os custos estimados em U$ 100 milhões. A Coelce, agente executora do projeto, também será fonte financiadora ficando responsável pela compra de toda a energia gerada pelas duas usinas.

Serviço
Mais informações sobre energia eólica: www.eletrobras. gov.br

 

Fonte: Jornal O Povo

Voltar